terça-feira, 29 de novembro de 2011

noite.

« Quem não sabe o que quer, tem sempre o que não quer. Um dia o mundo acaba, quem sabe acaba bem. »



Hoje quero muito. Quero tudo, tudo! Tragam do bom e do melhor! Quero patinar, quero comer panquequas, quero fazer o melhor som do mundo! Quero tirar a minha carta de mota, quero ter todas as respostas ás minhas inúmeras perguntas, quero vodka! Hoje quero o café da minha avó e o bolo de bolacha da minha mãe, depois do jantar composto por ovos de água do meu pai, quero os batidos de fruta e iogurte da minha tia! Hoje quero ir á lua e voltar, roubar uma estrela ao céu infinito e levá-la comigo para terra para dormir com ela debaixo da almofada. Hoje quero acabar com a distância, apanhar o primeiro avião do dia e conheçer o mundo de guitarra ás costas. Hoje queria que tudo se mantesse igual e que nada tivesse mudado. Hoje, para variar (...) queria o possivel e impóssivel, sem nunca conseguir nenhum.

8 comentários:

Francisca. disse...

uau querida que texto lindo!
obrigada por gostares do meu.
vou seguir-te

Francisca. disse...

oiin , muito obrigada (:
não está nada de especial, está simples, mas obrigada mesmooo :D

cláudiagomes. disse...

tenho-te a dizer que estou a sensivelmente 30m no teu fotolog e amo cada metáfora tua... encaixo-me tp 100% nas tuas cenas.. mas tu só tens uma diferença: mostras e eu escondo. Mas olha, não deixes de fazer estas frases.. pf. Sei lá, eu sei este comentário está tp super estranho mas precisava de te escrever que talvez tenhas sido a pessoa que em 4 anos me identifiquei mais a ler! continua.
ps: li os teus posts todos do blog.

Marta ☮ disse...

ele é tão lindo *.*

cláudiagomes. disse...

é preferível ser rainha :))

AndreiaCaetano. disse...

Pois, nem sempre estamos bem, não é assim?
Espera lá, tu escreveste este texto?

ricardoteixeira disse...

Obrigada! Adoro o teu blog e, por isso, sigo :)

AndreiaCaetano. disse...

Porque está simplesmente fantástico (?) Tipo, adoro, fiquei vidrada! "Hoje, para variar (...) queria o possivel e impóssivel, sem nunca conseguir nenhum."