quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

noite. (recovery)

Eu estou a passar por mudanças. Ultimamente, eu realmente sinto-me como se precisasse de uma tarde no Dr.Phill.
Sinto-me como se estivesse perdendo o controlo de mim mesma, eu sinceramente peço desculpas se parece que tudo o que eu faço é reclamar mas a vida teima em ficar complicada. E eu estou considerando a possibilidade de deixar o mundo esta noite, até os meus pais conseguem ver que estou a sofrer, eu tento esconder mas não consigo. Porque que eu ando a andar por ai como se estivesse toda eufórica enquanto que por dentro estou a morrer? Eu finalmente consigo admitir que preciso de ajuda, não o consigo fazer sozinha, estou fraca demais. Há duas semanas que ando a ter estes altos e baixos, indo de feliz para deprimida considerando a ideia de acabar com esta merda aqui e agora. Odeio o meu reflexo, ando pela casa a tentar lutar com os espelhos, não suporto a minha aparência, mas nunca ligando a opiniões de fora que falam e não sabem. Passo a vida trancada na casa-de-banho, no quarto, passo as tardes a dormir, os meus pais dizem que estou sempre de mau humor e que estou sempre a descontar em toda a gente. ''Que se passa contigo M, não consegues passar um dia sem fumar? Perdes-te as tuas habilidades, tornaste-te uma queimada e nunca vais ser nada. Tornaste-te um problema, estás demasiado fraca para combater. Levanta-te, sê uma mulher, uma mulher de verdade já teria resolvido esse problema!'' as bocas continuam a falar. Mesmo tendo o meu coração destruído e esmagado neste momento, eles dizem que eu vou perder o controlo, irritar-me á séria e explodir, nah! Nunca o faria se o pudesse evitar, lutaria sempre primeiro! Mas pensar nisso á noite só me faz ficar pior, agora ando a tomar comprimidos para as enxaquecas, tranquilizantes e um dia destes antidepressivos. E dizem que a culpa é dos drug dealers que me rodeiam, não é não, porque se eu precisar muitos deles vão esticar a mão quando for preciso, é a melhor forma de protegerem os seus investimentos. E eu acabei de perder o meu melhor amigo, por isso que se foda, não sei o que vou fazer só sei que estou a passar por mudanças. Os meus amigos não conseguem perceber esta nova eu, mas isso é compreensível, imagina se fosse contigo? Também te tornarias numa besta se te sentisses presa dentro de ti própria, como um animal enjaulado no zoo e toda a gente estivesse a olhar para ti. Que querem que eu faça? Estou a começar a viver como uma isolada e a verdade é que a escola já não me dá a desculpa para ficar deprimida a todo o momento, sento-me na janela a ouvir os mesmo sons de há anos atrás e a reviver que memórias que tinha e agora já não tenho nem nunca mais vou ter e doi tanto que me vou deitar e faço uma joint ou mais uns cortes porque sei que me vai fazer sentir bem e se eu ainda estiver acordada a meio da noite faço mais ainda, é filho da puta, tens toda a razão. Eu não diminuirei o ritmo por ninguém, eu estou quase na direção de casa, quase em coma completamente em colapso mental. Acordo na manhã seguinte toda marcada, mas de qualquer maneira ainda estou a resistir, juro que quando voltar a mim serei á prova de bala. Farei isso somente isso pelos meus, acho que é importante contactar factos porque algum dia não ter a oportunidade de contar a verdade e ás vezes fico a pensar, o que aconteceria se eu não sobrevivesse? Eu penso nas coisas que não seria capaz de dizer aos meus, eu nunca teria a oportunidade de fazer a coisa certa por isso é que o tenho de fazer agora, mom esta é para ti, daddy, willy e hugo também. Eu ainda adoro o meu melhor amigo como no primeiro dia isso nunca vai mudar, penso nisso todos os dias, em como as coisas acabaram da maneira que acabaram, gostava que houvesse uma maneira melhor de dizer isto mas: eu juro por tudo que farei qualquer coisa por ele se ele um dia precisar. Há muitas maneiras de o dizer, mas quando algo dá errado, dá tudo errado. Gostava que não houvesse sofrimento nenhum mas não posso fingir que não há, não estou a culpar ninguém nem a apontar culpados,'' Deus'' sabe que eu nunca fui uma santa. E parece que nós apagamos a nossa história mas só hoje, olhei para as nossas fotografias quase odeio admitir que tenho saudades tuas no meu subconsciente, queria que não tivesse acabado desta maneira (...) e agora tenho de me afastar, não sei porque, não sei que mais dizer acho que estou a passar por mudanças (...)

4 comentários:

joana pinto disse...

aw muito obrigada :)

catarina disse...

muito muito obrigada :) a tua escrita é muito boa :)

Jun disse...

obrigada querida

one princess disse...

tem os seus momentos, momentos estes q tanto adoro c: